A rotatividade de pessoal é um dos principais problemas que afetam a saúde financeira e reputação da empresa perante o mercado de trabalho; pois os índices de entrada e saída de funcionários estão cada vez maiores e com isso o Turnover sofre de todo lado.

Sabendo dessa dor enfrentada pelas empresas, listamos cinco maneiras de combater a rotatividade.

1 – Cursos e Treinamentos

Após o processo de recrutamento e seleção de funcionários, chegou a hora do colaborador colocar a mão na massa, porém é necessário capacitá-lo para que a empresa tenha resultados mais satisfatórios e não tenha prejuízo com o desligamento de mais um.

Invista em cursos de desenvolvimento pessoal, coaching, capacitação acerca da função que ele irá desempenhar na empresa, conheça suas habilidades, perfil comportamental, treine seus pontos positivos e pontos a melhorar.

Formatos de cursos e treinamentos

  • Online

Existem duas maneiras de sua empresa realizar um curso/treinamento. A primeira é quando a empresa compra um curso de qualificação de terceiros e toda vez que um funcionário ser contratado, ele terá que ver o curso e após o término realizar um relatório do que foi aprendido e como esse curso fará a diferença no ambiente de trabalho e na função que irá exercer. A segunda maneira é quando a empresa seleciona alguns líderes e gravam o curso da maneira que acharem melhor para repassarem aos colaboradores assim que forem admitidos; com isso a empresa otimiza o tempo.

  • Presencial

Outro formato de curso e/ou treinamento é o presencial. Em algumas empresas existem departamentos específicos para esse tipo de trabalho. Então fica a critério da empresa. Caso sua empresa tenha sempre mudanças e não conseguem acompanhar com vídeos gravados, o método presencial é o mais recomendado.

  • Material impresso apostila ou manual

Caso sua empresa ofereça um produto e/ou serviço que seja de fácil entendimento e possa ser ilustrado por imagens, gráficos ou até texto, de forma que o colaborador entenda de fato qual é sua função, o formato de apostila ou manual é ótimo, pois será um material de apoio ao funcionário, e poderá ser consultado sempre que tiver alguma dúvida, funciona como um guia de boas práticas.

Se você quer clientes fiéis e satisfeitos com sua empresa, você deve ter funcionários capacitados e comprometidos.

2 – Company Culture

Esse termo nada mais é que a cultura da empresa (Missão/Visão/Valores); Ela faz toda a diferença e dá o norte a todos os departamentos. Já ouviu aquela frase: “Pra quem não sabe onde vai, qualquer caminho serve.” pois bem, a cultura da empresa é o que faz o colaborador trabalhar incentivado e por um propósito. A missão, visão e valores da empresa devem estar alinhados com do colaborador.

Hoje, salário não têm sido um indicativo de permanência de um funcionário, mais sim, trabalhar por um propósito, algo que faça sentido e que o faça levantar da cama disposto e comprometido todos os dias.

3 – Boa gestão e liderança

Agora chegou a vez dos líderes estarem bem treinados e experientes para liderar seu departamento (Os cursos e treinamentos são obrigatórios neste caso). O desafio dos gestores não é somente de gerenciar conflitos, mas sim de evitar o próprio surgimento deles, sabendo identificar com rapidez o funcionário que não está bem no âmbito pessoal ou que esteja tendo algum tipo de dificuldade em desempenhar alguma função. O líder deve motivar sua equipe e manter sempre sua comunicação sempre clara e objetiva com os demais.

4 – Plano de Carreira

Muitos profissionais se desligam das empresas por não terem projeção de crescimento. Estudos comprovam que empresas que possuem um plano de carreira crescem mais rápido, conquistam grandes clientes, diminuem sua rotatividade e se tornam referência no mercado por ser um bom lugar para se trabalhar.

Os profissionais de Coaching são os mais preparados para realizar esse tipo de trabalho.

No plano de carreira deve ser levado em conta alguns pontos como:

  • Mapear talentos, valores, competências e interesses;
  • Alinhar objetivos e expectativas entre empresa e funcionário;
  • Quais objetivos pessoais do funcionário o leva a buscar crescimento na empresa (Pois atrás de um objetivo profissional existe sempre um pessoal) exemplo: Um funcionário quer conquistar uma promoção porque em secreto ele tem um sonho de comprar seu apartamento;
  • Traçar objetivos pessoais, profissionais e financeiros a pequeno, médio e longo prazo;
  • Como ele se vê ao longo de 1, 2 e 5 anos (Onde estará/qual cargo se vê ocupando/qual será sua remuneração);
  • Quais competências precisa desenvolver ou melhorar;
  • Plano de ação estratégico com tarefas e datas a serem cumpridos;
  • Acompanhamento do plano de carreira e autoavaliação de perdas e ganhos ao longo da jornada;

5 – Pesquisa

O último fator e não menos importante é a pesquisa de clima, ela tem grande valia nas empresas, pois avalia todos os cenários, departamentos, melhorias ou até problemas na organização e traz um levantamento do que pode ser melhorado ou ajustado na empresa.